Mostrar mensagens com a etiqueta cnc. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta cnc. Mostrar todas as mensagens

22/02/2015

Barreiras - 4: O Social – Aceitação plena

O Social – Aceitação plena

Para que a nossa caminhada esteja completa, para que a nossa viajem tenha sucesso falta ultrapassar uma ultima barreira, a Barreira do Social.

O ser humano é por tradição um ser social, vivendo em sociedade, em família, em parceria.

Passadas as etapas anteriores onde se aceitou o Eu, o Corpo, o estar Nu em Natureza, com a Natureza ao Natural, é tempo para o passo seguinte, é tempo de superar a ultima barreira:

A socialização ao Natural.

Depois das três barreiras anteriores, parece fácil, se eu já me aceitei, se eu já me despi e aceitei o meu corpo, se eu já aceitei e já consegui comungar ao natural com a natureza, com o universo e já consigo estar em espaços onde estão presentes outros seres ao natural, então confraternizar, partilhar e socializar com eles será um passo naturalmente fácil.

É natural que seja o passo seguinte porque como foi dito para o ser humano faz parte da sua genética estar em grupo, em sociedade, em família, com amigos , com conhecidos ou mesmo com estranhos acabados de conhecer, que connosco partilham os mesmo ideais.

Mas esta ultima barreira que parece tão fácil e acessível, levanta ainda mais barreiras, mais medos, muitas ideias, pensamentos e indecisões.

Um mar de perguntas surge à nossa frente:
Como se vai comportar o meu corpo?
Como se vai comportar o meu olhar?
Como é que eu me devo comportar?
O que devo ou posso dizer ou fazer ?
Como devo estar?
Como deve cumprimentar?
Etc.

Até aqui fui caminhado sozinho, ou eventualmente acompanhado, dentro do meu espaço, do mundo, foi realizando a minha caminhada interior, individual, controlei os acontecimentos, a velocidade, o momento, o espaço e o tempo. Cresci ao meu ritmo ao meu jeito.

Agora será diferente, a interacção com os outros é dinâmica, o controlo não é exclusivamente meu, mas sim de todos os presentes.

Foi para este momento que caminhei, que me preparei, é este o momento que quero viver e vivenciar, no limite tenho o poder de recuar, de voltar à etapa anterior, de me proteger.

Tenho o meu “botão de pânico” que me permite sair, fugir, recuar, voltar á minha zona de conforto onde tudo conheço e tudo controlo.

Mas… ao retroceder, ao recolher à minha zona de conforto, não ultrapassei a ultima barreira, aquela que estava já ali, aquela que era o meu objectivo e para a qual tanto trabalhei, procurei antes refugiu no meu Eu individual.

Não… não é este o meu caminho, não é este o meu desejo nem a minha vontade, respiro fundo, ou em frente, enfrento a barreira e sei que vou conseguir.

Já agora, onde e como o vou fazer, qual o espaço ideal, o lugar certo e adequado?

Parece que as duvidas não têm fim, surjam umas atrás das outras, tantas perguntas, tantas incertezas, tantas respostas.

Qual o melhor local? na praia? No campo? Num parque naturista?
E com quem? Em família? Com amigos? Numa actividade associativa? Indoor? Outdoor?

Com tantas perguntas, com tantas respostas, no meio de tantas possibilidades e incertezas, estamos perante a barreira que aparente ser a mais a mais complexa e a mais complicada.

Páro para respirar e afinal… o melhor local é único para cada um de nós, é o local, o tempo e as pessoas onde e com quem em me sinto mais confortável para com elas e com a sua ajuda e apoio, e no limite comigo mesmo, onde Eu escolho dar o passo, no momento em que Eu escolho dar o passo.

No meu momento, no meu tempo e no local por mim escolhido Eu ultrapasso a barreira de me socializar, Eu trono-me um Naturista na sua plenitude e apenas e tão só tenho de ser eu próprio, eu mesmo, assim tão simples e tão fácil.

Apenas tenho de respeitar o próximo, a filosofia naturista, ter os comportamentos adequados e socialmente aceites no meio Naturista.

Tudo se resume ao Eu estar confortável comigo mesmo, com os outros, agindo naturalmente até atingir o pleno, até me esquecer que estou nu, despido, sem roupas.

Naquele momento a minha “roupa” é o meu corpo, naquele momento não me sinto despido, nu, mas sim “vestido” com o meu Eu, com o meu Corpo, eu e todos os outros que me rodeiam vestimos o mesmo traje, a mesma moda e o mesmo estar.

Todos os presentes com a sua “roupa” única e só sua, mas todos em socialização ao natural, confortáveis consigo próprios, plenos com todos os que os rodeiam, saboreando os elementos da natureza e o interior de cada um de nós.

Chegado aqui estamos prontos, preparados para viver o naturismo em plenitude, o difícil agora passa a ser o não viver em naturismo, o usar roupa, etc.

Cheguei,
                Ultrapassei as barreiras,    
                                                     Vivo plenamente bem comigo mesmo.

Link para todas as Barreiras:
Barreiras 1        
Barreiras 2       Barreiras 3       Barreiras 4
____________________________________________________





21/02/2015

Barreiras - 3: O Publico – Aceitação natural

O Publico – Aceitação natural

Agora que aceito o meu Eu e o meu Corpo, estou pronto para seguir novamente na caminhada, estou pronto para vivenciar a natureza de forma natural, estou pronto para que a natureza e eu sejamos um só.

Seja na praia ou no campo, no sentir a terra, a agua, no o ar e o fogo em simultâneo, sinto-me em casa, sinto-me em comunhão com a natureza , com o universo.

Passei de um Ser individual e individualista, para algo muito maior que faz parte de um todo, sinto-me pleno e um só com o universo.

Cada ponto do meu corpo está em comunhão com a natureza, cada espaço do meu Eu está em comunhão com o universo, com a plenitude.

Só quem se atreve a experimentar a vivenciar é que pode perceber esta sensação, esta forma de estar e de sentir.

Não se pode traduzir em palavras, estas nada significam, apenas com o sentir em pleno, com a vivência da experiencia, com a entrega à natureza podemos aspirar a este sentimento de plenitude.

Sentir uma experiencia única, indescritível, diferente para cada um de nós, valorizada de forma diferente e única, sentir algo que não se descreve, sente-se apenas, vive-se, não se conta, é nosso e só nosso.

Sente-se a plenitude do momento, naquele momento, naquele lugar, ali, onde estamos no espaço e no tempo, único e indivisível, magico, sublime.

E tu… Experimenta, atreve-te, vive, sente e embarca nesta viagem ao centro do Universo, ao centro de ti mesmo, ao todo, ao teu Eu, navega no oceano da plenitude partindo à descoberta de ti próprio e de tudo o que te rodeia, mas que está simultaneamente longe do teu olhar.

Estás nú, despido, perante ti próprio e perante o mundo, estás pleno, não importa o que vês ou o que mostras, apenas o que sentes.

Estás pronto para nova viagem, para nova barreira.


Link para todas as Barreiras
Barreiras 1       
Barreiras 2       Barreiras 3      Barreiras 4
___________________________________________________

20/02/2015

Barreiras - 2: O Corpo - Aceitação exterior

O Corpo - Aceitação exterior

À medida que nos descobrimos e aceitamos o nosso corpo surge como como uma extensão natural do nosso Ser.

O Corpo que nos acompanha desde o nascimento, evolui e transforma-se ao longo dos tempos mantendo-se inalterada a opressão sobre o mesmo ditada pela sociedade, pela religião, pela família, pelos média e pela moda.

A religião com o pecado, a sociedade com o decoro, a moda com as imagens perfeitas e irreais , o estado com normas, as leis e a formatação imposta pela via do ensino, constituem todas elas um conjunto alargado e elevado de barreiras à aceitação individual do Corpo.

Após a passagem da barreira do EU, através da aceitação do que somos e como o somos, ficamos prontos para esta etapa mais difícil, longa e dolorosa.

Até aqui fizemos um caminho interior, só nosso e ao qual apenas acederam os mais próximos ou mais íntimos. A partir daqui precisamos de espaço, inicialmente podemos faze-lo dentro da nossa privacidade, no nosso quarto, na nossa casa e em privado.

Partindo da aceitação do EU iniciamos o caminho em direcção à aceitação do Corpo ganhando determinação e força para superar esta barreira.

Se me aceito por dentro não faz sentido não me aceitar por fora.

O meu Corpo é o meu Corpo, é único e é só meu, é a “roupa”, o “fato”, o traje que a natureza me deu e que moldei ao longo da vida na minha caminhada, com a minha prática desportiva, com a minha alimentação e com o meu trabalho.

Independente do que fiz e como fiz, deu muito trabalho a esculpi-lo, é fruto do que sou, do que fui e do que serei, acumula a minha vida ao longo dela.

Cada cabelo branco ou desaparecido, cada cicatriz, cada ruga, cada prega, cada ponto do meu corpo tem uma história, uma vivência, tem o resultado da minha vida e do meu Ser.

Aceitar o meu Corpo é aceitar o meu Eu, o meu passado e o meu futuro, é aceitar a possibilidade de o manter, de nada fazer, mas também é aceitar a possibilidade de através da pratica desportiva, da alimentação, a da meditação, do exercício e porque não da ciência de o mudar, de o trabalhar, no entanto faça o que faça ou aceite o que fiz, é e será o meu Corpo.

Olhar e aceitar, ver ao espelho e reconhecer, respeitar, entender que parte de mim mesmo, que é único e só meu, é concluir a jornada e ficar pronto para o passo seguinte.

Nesse momento aceito-me plenamente e ultrapasso a barreira do meu Corpo, passo a ser um Ser de corpo e alma, único e indivisível.

Descubro o conforto de andar despido, descubro a minha liberdade individual no meu estado mais puro.

Eu sou Eu, o meu Corpo é o meu Corpo, somos um só, o que me fizerem desde que nasci, perdeu peso, perdeu importância, relativizou-se, não importa mais.

Chegado aqui estou pronto para o mundo, pronto para o próximo passo, pronto para ultrapassar uma nova barreira.


Link para todas as Barreiras
Barreiras 1     
Barreiras 2        Barreiras 3       Barreiras 4
___________________________________________________

19/02/2015

Barreiras - 1: O Eu – Aceitação interior

O Eu – Aceitação interior

Nascemos Naturistas vindos de um meio ambiente auto-suficiente, pleno e repleto de bem estar e conforto.

Não possuímos nada mas temos tudo o que precisamos.

Chegamos leves por dentro e por fora, sem tabus, sem preconceitos, plenos de aceitação corporal e sem roupas.

De imediato a sociedade, a família e o meio envolvente iniciam o nosso processo de transformação criando à nossa volta e dentro de nós barreiras atrás de barreiras, a moral, o social, o preconceito, a hipocrisia, a posse, etc.

Crescemos e vivemos a coleccionar roupa, tabus, barreiras familiares, sociais e profissionais.

Somos desde tenra idade e de forma continuada balizados, repreendidos e formatados através da família, da escola, da sociedade, do estado, dos média, etc.

Quando nascemos não escolhemos nenhuma destas entidades, viemos ao mundo no meio delas, fomos pela família nelas colocados e finalmente condicionados pelo nosso percurso anterior.

No entanto a partir de dado momento podemos escolher alternativas, novos caminhos e novos horizontes, sejam eles interiores ou exteriores.

A adesão interior ao Naturismo é um destes caminhos que podemos e devemos escolher, é um trabalho mais ou menos longo, diferente de pessoa para pessoa.

É uma caminhada a solo ou em grupo na qual aos poucos vamos tomando consciência do que somos, do que nos trouxe até este momento, de tudo o que incorporamos desde o nosso nascimento até ao presente.

O momento em si não escolhe idades ou lugares, acontece simplesmente, chega sem avisar e põe em causa muito do que nos incutiram ao longo da vida, questiona-nos, coloca-nos duvidas e abana o nosso EU.

Ao descobrimos um caminho e uma forma de estar na vida, mais leve, com menos obstáculos e que nos permite Ser e Estar mais perto de nós próprios e da própria natureza, conduzindo a um estado em que o passado e as condicionantes que nos impuseram perdem importância e relevo na nossa vida, tornando-nos mais vivos e mais despertos para o que nos rodeia, permitindo que possamos ver e apreciar a natureza, que a possamos sentir, que a possamos vivenciar e apreciar.

Chegados aqui acabamos de ultrapassar a 1ª barreira, passamos a aceitar o nosso Eu, o nosso interior adquire relevo, permitindo desta forma descobrir e realizar a existência de uma dimensão mais plena, ganhamos assim asas para novos voos permitindo a continuação da nossa caminhada em direcção às próximas barreiras.


Link para todas as Barreiras:
Barreiras 1    
Barreiras 2    Barreiras 3    Barreiras 4
___________________________________________________

27/11/2014

24/11/2014

19/11/2014

01/10/2014

O Natural : Edição Especial Pedro Geraldes Cardoso

O Natural : Edição Especial Pedro Geraldes Cardoso

“O Natural” especial dedicado a Pedro Geraldes Cardoso publicado em 2012, não como uma homenagem porque estas fazem-se em vida, e foram feitas, mas sim como um memorial que permita aos presentes e aos vindouros saber quem foi e a grande contribuição que deu ao Naturismo em Portugal.

O Pedro foi o nosso Associado Nº 1 o que por si só é um marco na história do Clube, mas mais importante foi o seu trabalho, a sua dedicação e a sua permanente disponibilidade para o Associativismo Naturista.

Um contributo do CNC - Clube Naturista do Centro para o projecto:

NATURISMO - HISTÓRIA COM VIDA

Da FPN - Federação Portuguesa de Naturismo

Um grande homem, um grande naturista um sonho por realizar:

Um movimento unido e coeso na defesa e na divulgação do naturismo.

Parte da história Federação está nesta edição do Magazine do CNC.

Um publico agradecimento a todos os que contribuíram para tornar possível esta edição com o seu contributo.

11/09/2014

Convesa a NU com a Carla Sofia

Entrevista na Rádio Liz, Uma convesa a NU com a Carla Sofia, no programa "Três prá Uma".

O CNC esteve presente através de uma entrevista por telefone na Radio Liz, aproveitando a mesma para entre outros temas divulgar as praias do distrito de Leiria.




20/11/2012

14º Aniversário do CNC


O Clube Naturista do Centro comemora hoje o seu 14º Aniversário.

A todos os nossos Associados, amigos e familiares agradecemos o apoio dado ao Clube ao longo destes anos.

A comemoração será realizada dia 24 com uma piscina naturista oferecida aos nossos Associados.

Para 2013 o caminho a seguir já foi divulgado no nosso blog, apostando na continuidade da actual Direcção mas também com novos nomes nos Corpos Sociais promovendo uma renovação saudável através de novas pessoas, novas ideias e novas formas de trabalhar.

Ao longo da sua história o Clube teve a honra de ser presidido por um variado leque de Presidentes e um variado conjunto de Associados nos seus Corpos Sociais, mostrando ao longo da sua existência uma rara capacidade em termos associativos de se renovar, de inovar e de ir mais além.

Hoje somos o fruto do trabalho de todos ao longo destes anos, da sua dedicação, do seu esforço e do trabalho, a todos o nosso bem haja e para todos enviamos as nossas Saudações Naturistas.

Todo este processo foi sempre acompanhado pelo respeito pelo passado, pela sua tradição e acima de tudo pela continuidade de um projecto apostado no desenvolvimento, na divulgação e na promoção do naturismo em Portugal.

Para 2013 tudo faremos por mais Clube, mais Naturismo, mais apoio aos Sócios e esperamos poder contar com o vosso apoio no próximo ano assim como vós podeis contar com o nosso esforço e empenho na vida do Clube.

A Direcção

Lisboa 20 de Novembro de 2012
________________________________________

16/11/2012

Site de novo online

Por motivos técnicos alheios ao Clube o nosso site esteve ontem dia 15 de Novembro temporariamente fora de serviço, tendo hoje sido reposta a normalidade pela empresa onde estamos alojados.

Para visualizar qualquer pagina do site do Clube que de erro deverão carregar na tecla F5 para refrescar a mesma no vosso pc.
___________________________________________

14/10/2012

Caminhada naturista

No próximo domingo dia 21 de Outubro, entre a praia da Adiça e a Lagoa da Albufeira com regresso pela praia, 


participa na caminhada mais ao natural do ano.

São cerca de 10 km em piso de areia com ida pela arriba e regresso pela praia.

A duração estimada é de cerca de 4 horas, podendo o resto do dia ser passado na praia da Adiça.

Sendo uma caminhada em sustentação não esquecer de levar muita agua e alguma comida, protector solar, chapéu, etc.

O ideal é uma mochila para cada dois caminhantes para irem trocando.


Foto: caminhada em Sintra 2011

O ponto de encontro é na Praia da Adiça (estacionamento junto à praia) pode ver aqui o local.

A hora do encontro: 09H30 com partida pelas 10H00.

Quem chegar atrasado pode seguir o caminho até nos apanhar:



O gráfico representa percurso para quem vem da Nato, quem começa na praia tem uma subida inicial.
____________________________________________________


15/09/2012

Protocolo: Baoba Espaço Massagem

Novo protocolo entre o CNC e a Baoba Espaço Massagem:


A partir de 17 de Setembro os nossos Associados passam a contar com descontos em massagens conforme a tabela que podem ver no forum do Clube.


Local:
CAMPO MÁRTIRES DA PÁTRIA
Nº 110 SALA S 1150-227 LISBOA



Contacto para marcações: Ver tabela.

Na tabela seguinte podem consultar os serviços e os preços praticados:


Carrega na imagem para ampliar

No forum a tabela para Associados.
____________________________________________________




29/08/2012

Encontro: Barão 2012

Encontro de Sócios e Amigos do Clube Naturista do Centro nos dias 5,6 e 7 de Outubro no Monte Naturista o Barão.

Todos os participantes deverão efetuar a inscrição através do nosso email, para poderem usufruir de um desconto de 20% no valor do acampamento (eletricidade não incluída).

PROGRAMA:

Aulas de YOGA 
(também com YOGA na Piscina);

Water Polo;

Petanca;

Orientação/gincana;

As tuas ideias também são bem vindas ...

Participa em mais um grande encontro de Camping.

Junta-te a Nós, Vive Naturalmente. Faz-te sócio e aproveita todas as vantagens.

Divulga:
https://www.facebook.com/events/274603132640667/


AULAS DE YOGA DURANTE O ENCONTRO
(Para todos os interessados que estejam no Barão)

- Aula dia 5 as 17h
- Aula dia 6 as 9h e as 17h
- Aula dia 7 as 9h
As aulas tem o tempo previsto de 1:30h


O horário pode ser mudado dependendo do estado do tempo.
obrigatorio trazer 2 toalhas de praia grandes.
trazer vontade de aprender, alegria, paz, e muito amor......

_____________________________________________________________

16/08/2012

NUwsletter Nº 51


Clube Naturista do Centro
NUwsletter Nº 51
16 de Agosto de 2012
image
imagem
Actualidade
imagem
Verão
Época de encontros oficiais e espontâneos entre os nossos associados, para disfrutar do bem estar proporcionado pela pratica do nudo naturismo e pela socialização entre amigos e praticantes.
Época do interesse dos media na nossa filosofia de via com a saída de reportagens, artigos e outras informações sobre o naturismo em Portugal que podem acompanhar pelo Facebook do Clube e da Federação.
imagem
image
imagem
Cartão de Associado
Usa e abusa das vantagens do Cartão Naturista emitido pela Federação Portuguesa de Naturista, através da adesão ao Clube a inscrição na FPN é imediata e permite aceder a várias vantagens ao longo do ano e em especial nesta época a quase todos os  alojamentos naturistas em Portugal com desconto.
Saber mais »
FPN
imagem
image
imagem
Lifecooler
A Lifecolor fez uma publicação sobre a FPN com um espaço sobre alojamento e outro sobre praias.
Saber mais »
imagem
Diário de Noticias
O DN publicou uma reportagem sobre a FPN e o naturismo.
Saber mais »

Breves
image
imagem
Estatutos INF
Nos estatutos da INF vem referenciado o nudismo e o naturismo, será que a FPN devia adoptar os mesmos termos nos seus Estatutos?
Envia-nos a tua opinião para:
image
imagem
Actividades
Para além do calendáro do Clube, através do Facebok organizamos e tu também podes organizar encontros de praia imediatos, fica atento ao nosso Facebook e aparece.
image
imagem
Blog
Continuamos a actualizar o blog na pagina praias oficiais e toleradas, ajuda-nos com as tuas fotos e indicações, para tal basta fazeres como fizemos com a Praia da Gralha.
Saber mais »
Visite-nos em
www.cncentro.org
partilhe
Facebook Twitter Google plus
imagem

29/05/2012

O Naturismo Associativo nas Redes Sociais

As redes sociais são um oceano de informação sobre qualquer tema e sobre muitas pessoas, como não podia deixar de ser muita dessa informação está contaminada, seja de forma intencional seja por desconhecimento, tornando difícil destrinçar a realidade, a veracidade e acima de tudo filtrar a quantidade de informação disponível.

O naturismo não é excepção e sua entrada e permanência nas redes sociais não é um tema pacífico, e muito menos um tema de fácil tratamento e análise.

Num dia a dia onde as redes sociais são cada vez a sala de estar e de comunicar, estar ausente destas plataformas seria um acto de autismo e de gueto social para os naturistas.

Pela inversa estar nestas plataformas é um verdadeiro quebra-cabeças entre a forma de comunicar, o que comunicar e quem aceitar nas nossas redes.

Num mar de abordagens sem fim, estabelecer um rumo definido requer tempo e recursos não disponíveis dentro do naturismo associativo. Uma estratégia de comunicação requer pessoas a tempo inteiro para filtrar, documentar e rebater argumentos, ideias e conceitos.

Neste contexto hostil, onde imperam muitos conceitos e formas de estar na vida que não se coadunam como a ética naturista, onde a diferença entre nudistas e naturistas se esbate com muita facilidade e onde a própria forma de estar difere de instituição para instituição, surgiram novas realidades e aprendizagens para as quais o naturismo associativo não estava preparado e muito menos dotado dos meios necessários.

Das mil um uma maneiras de estar e divulgar a actividade e a prática naturista, o Clube Naturista do Centro, tem procurado seguir uma linha pela positiva, divulgando o que é o naturismo, o que o Clube faz, procurando dar as respostas solicitadas, sempre de uma forma que evite seguir o caminho da divulgação do que não é o naturismo.

Da mesma forma é evitado a filtragem de pessoas, procurando atingir um maior leque na divulgação da mensagem, sabendo que aqueles que procuram outros conceitos e formas de estar na vida rapidamente zarpam para outras paragens mais de acordo com os seus interesses.

Apenas na via real podemos viver e ter uma vivência do naturismo na sua plenitude, pelo que as redes sociais são apenas e tão só uma ferramenta de divulgação, logo não faria sentido ter como publico alvo apenas os nossos associados, pois para eles a prática do naturismo, a sua vivência, os seus benefícios, etc, são já amplamente conhecidos e estão na sua essência e bem estar.

Neste contexto a presença do naturismo associativo nas redes sociais visa aqueles que não o praticam ou aqueles que o fazem fora do naturismo associativo, procurando levar até eles, uma visão da nossa forma de estar e de viver através da divulgação da prática e da ética naturista.

Para alcançar estes objectivos é importante que exista uma acção concertada entre associações e associados, permitindo desta forma maximizar a passagem da mensagem e de forma subtil mas rigorosa defender e promover os valores do naturismo associativo e familiar.

Todos nunca seremos muitos para este trabalho sem fim, para esta necessidade permanente de informação, pelo que só com a tua ajuda e apoio poderemos ser bem sucedidos nesta caminhada.

Contribui com a tua acção, com o teu voluntarismo, apoiando a divulgação e o desenvolvimento do naturismo do associativo.
____________________________________________________________ 

07/05/2012

Praia da Vigia

Praia referenciada no comentário ao artigo Primeira Vez - 5


Praia situada a sul de São Julião, próximo da localidade de Assafora, acesso pela estrada N247, belíssima praia de areia dourada com arribas escarpadas de difícil acesso. O areal estende-se ao longo de 2 km e na maré baixa tem ligação com a praia de São Julião
Praia não vigiada e não possui qualquer tipo de equipamento de apoio.


Localização: N38.919928710,W9.424488544
Fonte 1
Fonte 2
Fonte 3






Se conheces esta praia deixa um comentário com a tua opinião ou envia para o nosso email
_________________________________________________________________

05/05/2012

Primeira Vez - 5

Lembro-me que por volta dos 12 anos frequentava uma das muitas praias na Costa da Caparica com a família e gostava muito de fazer longas caminhadas pela beira-mar, não só porque fazia exercício mas também porque sabia que uma ou duas praias para a frente se praticava naturismo. Assim sempre que ia à praia usava o pretexto do exercício para me deslocar à praia da Bela Vista. Lembro-me de ao chegar sentir uma liberdade única mesmo não tirando o fato de banho pois tinha receio que por ter 12 anos e estar sozinho alguém viesse ter comigo. Devido a este facto ansiava que os anos passassem rapidamente.

Foi então que aos 16 anos decidi que já podia fazer a viagem e ir à praia sozinho em segurança! E começou a aventura!

O dia começou cedo pois tinha de apanhar comboio, barco para cruzar o tejo, camioneta para a Costa da Caparica e finalmente o mini comboio da praia! Lembro-me como se fosse hoje, desci do comboio, andei um pouco pela areia, escolhi o sítio onde pousar as coisas e passado uns minutos chegou o momento - tirar o fato de banho. Foi a maior e melhor sensação que experimentei até hoje. Sentir o sol, o vento e mais tarde a água do mar em todo o corpo. Foi arrebatador! Desde então, e já la vão quase 12 anos, pratico sempre que posso, adoro e só tenho pena de não fazer há mais tempo mas isso não dependia de mim! Nas "nossas" praias não existem os preconceitos que há nas outras, todos estamos bem com os nossos corpos etc, respira-se um ar mais puro!

Mais tarde descobri o Meco, onde vou a maior parte das vezes, o Salto e a Ursa. Esta última, por ser perto de casa, frequentei bastantes vezes nos tempos da universidade. Que bem sabia sair das aulas em Maio, pôr-me a caminho e aproveitar uma tarde ao natural tão bem passada!

No que respeita a dificuldades sentidas posso destacar a falta de condições das praias (algo que sei que tanto a Federação como o Clube continuam a batalhar para conseguir melhorar as mesmas) e a imagem errada da opinião pública sobre o naturismo. Sendo eu de um meio conservador não pude contar nem a família nem a amigos e a situação ainda hoje se mantém. É certo que não deveria ser assim e que precisamente por esconder esta minha escolha se pode pensar de forma negativa acerca do naturismo visto que só o que é ilegal é que se esconde... Mas isto tem um preço - ter de ir sem companhia para a praia. Contudo a vontade de estar nu e o bem-estar que isso me traz supera as horas solitárias de praia!

Fica aqui o meu testemunho e quaisquer comentários serão bem-vindos!

Um abraço

Francisco



Contribui para este espaço envia a tua primeira vez para:

cncentro@gmail.com
_________________________________________________

02/05/2012

O Natural: Edição Especial


Os membros da actual Direcção do Clube Naturista do Centro não tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente  Pedro Geraldes Cardoso, tal como nós estão neste momento largo número de Associados do Clube.

Da constatação deste facto nasceu a ideia de editar um “O Natural” especial dedicado ao Pedro, não como uma homenagem porque estas fazem-se em vida, e foram feitas, mas sim como um memorial que permita aos presentes e aos vindouras saber quem foi e a grande contribuição que deu ao Naturismo em Portugal.

O Pedro foi o nosso Associado Nº 1 o que por si só é um marco na história do Clube, mas mais importante foi o seu trabalho, a sua dedicação e a sua permanente disponibilidade para o Associativismo Naturista.

Para esta edição convidámos representes de todos os Clubes, convidámos Sócios e ex Sócios, convidámos amigos e abrimos a participação a todos sem limite de formato, de tamanho e mesmo de tempo.

Procuramos o maior número possível de contributos, atrasando para tal esta edição até ao limite, mas acreditamos que valeu a pena. Para memória futura fica a visão dos vários intervenientes nesta edição.

Por norma o nosso boletim "O Natural" é reservado e exclusivo para os nossos Associados, no entanto entendemos que esta edição especial será aberta a todos os que a desejarem ler e partilhar livremente.

Deste modo todos os Companheiros, amigos, familiares sejam naturistas associados no movimento associativo, sejam simpatizantes ou simplesmente curiosos, poderão ficar a conhecer um Naturista que se dedicou de corpo e alma ao Naturismo, ao associativismo naturista e a quem devemos a primeira lei sobre o naturismo em Portugal.

A todos e em nome do Naturismo associativo o nosso muito obrigado.

Saudações Naturistas.

________________________________________________________